De 24 a 27 de julho de 2018 aconteceu o Congresso Internacional sobre Síndrome de Down em Glasgow, Escócia. Dentre os brasileiros presentes no evento estavam Samuel Sestaro, vice diretor regional sudeste da Fderação Down, que se apresentou em inglês e falou sobre quem é e suas experiências. Confira sua apresentação completa no vídeo abaixo!

Jéssica Pereira Cardozo, do Comitê de Educação da Federação Down, também estava lá e nos trouxe o seguinte relato:

“O Congresso mundial sobre síndrome de Down aconteceu nos dias 24 a 27.07, iniciando, para os profissionais da área da saúde, em 23.07, com palestras exclusivas e atualizadíssimas.
Foram 4 dias em um mergulho incrível de muito conhecimento, conversas e novas amizades!!
Pessoas de todos os continentes, com suas experiências e culturas. Compartilhamos sorrisos, histórias e contatos o tempo todo!! E claro, muitas palestras, sempre fundamentadas em resultados de pesquisas científicas!! Estou falando de Ciência… Investimento em pesquisa, dados, números.. que geram argumentos e respostas consistentes e fidedignas!!
As principais (atenção, porque havia muitas) circundaram os temas de Distúrbios do Sono e Apneia Obstrutiva do Sono, Saúde Mental, Doença Celíaca, Demência e Alzheimer.
Foram mais de 10 palestras por horário e um total de 6 a 7 por dia.
Me dividia entre as de saúde, trabalho, desenvolvimento e terapias, mas tinha em minha agenda, principalmente, as palestras de autogestores. Afinal é disso que se trata: empoderamento, protagonismo e participação social! Embora tenha perdido palestras de muitos países, consegui assistir jovens e adultos do Brasil, Turquia, Estados Unidos e Austrália.
Esse é o ponto, esse é o gás e a meta!!!
Terminei em lágrimas, de tanta emoção!! Emoção e gratidão por poder viver todas aquelas experiências!!
Dessa vez estávamos em cerca de 16 brasileiros, mas tenho certeza que seremos muitos mais em Dubai!!!
O resumo das principais palestras pode ser visto nas páginas do Singularidade Down e do Chat21.
À Amor pra Down, todo meu carinho!
À FBASD, temos muito trabalho pela frente!”