Enquanto foliões aproveitavam o Carnaval, dez pessoas com síndrome de Down, oriundas das Regiões Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste e Sul, participavam do 3º Encontro Nacional de Autogestores/ Autodefensores da Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down – FBASD: Bruno Ribeiro, de Recife – PE; Débora Seabra, de Natal – RN; Fernanda Machado, de Porto Alegre – RS; Jéssica Mendes de Figueiredo, de Brasília – DF; João Vítor, de Curitiba – PR; Laura Negri, de  Curitiba – PR; Mariana Amato, de São Paulo; Samuel Sestaro, de Santos; Sofia Alves, de São Paulo, e Vinícius Streda, de  Santo Cristo – RS.

O grupo de Autogestores/ Autodefensores  foi criado em 2016 com o “objetivo de expandir o nosso conhecimento sobre a Convenção da ONU e sobre a LBI para defender nossos direitos”, nas palavras de Jéssica Mendes,  co-idealizadora desse trabalho.

O Encontro, mediado pela Vice-presidente da Federação Down,  Ana Cláudia M. de Figueiredo, e pelas psicólogas Nancy Costa e Viviane Orlandi, aconteceu entre os  dias 2 a 5 de março, no Hotel Meliá, em Brasília, e teve como objetivos, entre outros, o de aprofundar o debate acerca de temas importantes à formação dos Autodefensores dessa entidade –  como o seu  papel  no movimento em prol da inclusão social das pessoas com deficiência -,  e também o de consolidar, em cada um dos participantes, a ideia de atuação baseada no coletivo, em vez de atuação pautada apenas no interesse individual.

O primeiro tema abordado foi o foco do grupo, se autogestão ou  autodefensoria. Compreendidas as diferenças entre esses focos e o papel do autogestor e do autodefensor, o grupo decidiu alterar o seu nome para Grupo de Autodefensores/as e também definir detalhes para a criação da sua logomarca.

Na sequência, foram explicados, em linguagem simples, os objetivos, a estrutura e o funcionamento da Federação e colocada em votação – mais uma vez  –  a vinculação, ou não,  do grupo à Federação, uma vez que criado fora do âmbito da FBASD. Para Vinícius Streda, “É essencial ter o apoio da Federação para conseguir congregar familiares e jovens [com síndrome de Down]”. No final dessa conversa, foi  acolhida a vinculação a essa entidade, com a ressalva de que as ações do grupo,  embora em conformidade com os princípios da FBASD, seriam determinadas por seus participantes.

No terceiro dia do Encontro, foram debatidos e definidos, em uma discussão muito rica e madura, aspectos que deverão constar do documento que orientará a criação de grupos regionais de Autodefensores pelas filiadas da Federação.

E por fim foram eleitas, com base no critério de igualdade de gênero, entre outros, pessoas para cargos de direção do grupo:  Jéssica Mendes e Vinícius Streda, como Coordenadores;  Débora Seabra e Samuel Sestaro, como Secretário/a, e João Vítor, como Tesoureiro.

Entre os participantes  apenas três pessoas viajaram acompanhadas. As demais vieram sozinhas para a capital e administraram as tarefas próprias de uma viagem, ainda que com apoio em alguns momentos.  A divisão dos quartos foi por sorteio e exigiu habilidades como a administração do tempo e o respeito ao outro.

Além dos momentos de refeição, sempre divertidos, o grupo contou com outros em que pode descontrair, como os momentos do passeio turístico para conhecer os principais monumentos de Brasília e da confraternização na festa de encerramento, animadíssima.

 

Os participantes do encontro estão numa sala de reunião, com duas mesas compridas, uma de frente para outra. Numa das mesas, a esquerda, estão 5 pessoas sentadas uma ao lado da outra e na da direita 6 pessoas.
Os participantes do evento estão ao ar livre, todos olhando e sorrindo para a foto e atrás deles há uma torre com a bandeira do Brasil no topo.